Tel: +34 932 310 811 - surisa@surisa.es

Registador de temperatura nos processos de produção alimentar

O controlo da temperatura nos processos da indústria alimentar é vital para se garantir o bom estado dos alimentos. Uma pequena variação de alguns graus pode ser muito problemática. As bactérias presentes nos alimentos começarão a reproduzir-se e, ao chegar ao consumidor final, este poderá contrair uma doença alimentar. Um registador de temperatura, como os termómetros irreversíveis, permite que, de forma desassistida, se possam registar alterações nas temperaturas corretas

Em resumo, o registo da temperatura dos alimentos permite que se saiba se estão a ser manipulados e conservados de forma adequada. É uma questão de higiene, que pode chegar a afetar a saúde de milhares de pessoas. Uma só falha no manuseamento de alimentos pode causar um grande problema de saúde e graves responsabilidades para a empresa infratora.

Principais termómetros para registo de temperatura na indústria alimentar

A temperatura na produção alimentar

A produção alimentar teve sempre um problema: a conservação dos alimentos. Dado o seu caráter perecível, a comida tende a apodrecer num determinado período de tempo. Para retardar este efeito, é necessário recorrer ao frio, o qual abranda a ação dos agentes encarregados de decompor um alimento. Desta forma, as bactérias e enzimas abrandam a sua ação ou travam-na, tal como acontece no caso da congelação.

Os dois principais métodos utilizados nos processos de produção alimentar são a refrigeração e a congelação. A primeira consegue-se mantendo os alimentos entre os 0 e os 4 ºC; enquanto a segunda exige -18 ºC para uma conservação efetiva. Não obstante, estes valores são padrões geralmente aceites, mas cada alimento conta com temperaturas adequadas para a sua conservação.

Por exemplo, o leite deve ser conservado entre os 4 e os 12 ºC enquanto a caixa não for aberta. O queijo deve permanecer entre 2 e 4 ºC, tal como acontece com o leite pasteurizado. No que se refere à carne, o presunto e o frango suportarão entre 10 e 15 dias sem problemas conservados a 0 ºC; enquanto as verduras devem permanecer entre os 2 e os 5 ºC, embora estas devam ser consumidas no espaço de poucos dias, devido à sua fragilidade.

Etiquetas autocolantes registadoras de temperatura

Indicadores de temperatura irreversíveis

Para se manterem continuamente estas temperaturas, desde que se conseguem os alimentos até que chegam ao consumidor, é indispensável que se utilize um registador de temperatura de alimentos que garanta que a temperatura de conservação foi respeitada. Os termómetros irreversíveis são um método de registo simples e económico, podendo permanecer numa câmara frigorífica ou num refrigerador de supermercado para indicar se a temperatura máxima foi ultrapassada em algum momento.

Indicadores de temperatura reversíveis

Também há etiquetas de temperatura que mostram continuamente o valor atual. Desta forma, os operários podem supervisionar os valores de relance, o que agiliza a deteção do eventual problema e a tomada de decisões, caso se tenham ultrapassado os níveis de segurança nos processos de produção alimentar.

Em última análise, um registador de temperatura é indispensável para a indústria alimentar. Graças aos termómetros adesivos, é possível manter o frio controlado de uma forma simples e económica, e conseguir fazer com que os alimentos se mantenham em valores de conservação adequados. Desta forma, um registador de temperatura como as etiquetas autocolantes é o grande aliado da indústria alimentar.