Tel: +34 932 310 811 - surisa@surisa.es

Termómetro para carne: temperatura de conservação e refrigeração

As temperaturas da carne devem ser mantidas continuamente, tanto quando se trata de a armazenar como de a transportar. Se a cadeia de frio se romper em alguma fase, o alimento ficará danificado de forma irreversível. Por isso, um termómetro para carne é essencial para a conservação deste produto.

A temperatura de conservação da carne depende do método utilizado e do tempo de armazenamento necessário, dado que o processo se altera, dependendo do facto de se procurar congelá-la ou mantê-la refrigerada. No entanto, nos dois casos, o objetivo consiste em evitar que os alimentos continuem a sua degradação natural, o que os converteria num perigo para a saúde humana. Conforme o caso, há diversas soluções para o controlo da temperatura da carne.

Principais termômetros para controle de preservação de carne

  • Termómetro reversível adesivo para frigoríficos. Este indicador contém 12 pontos de temperatura que, mediante uma mudança de cor, indicam a temperatura do frigorífico ou câmara frigorífica.

    27,00 €
  • O Chillchecker é um sensor de temperatura adesivo para o controlo da cadeia de frio. Este indicador efetua uma mudança de cor permanente quando a temperatura indicada no mesmo é ultrapassada.

    186,82 €
  • Indicador de temperatura adesivo LCD do tipo reversível. Ele nos permite controlar se o refrigerador está em um nível de temperatura adequado.

    38,81 €
  • Indicador irreversível de tempo e temperatura por mudança de cor. Esta etiqueta adesiva alerta sobre a exposição inadequada à temperatura, alterando progressivamente a cor dos pontos de controle. Cada ponto é calibrado por um determinado período de tempo, permitindo assim o controle do tempo de exposição naquela temperatura.

    20,50 €
  • O indicador de queda de temperatura FCP é uma etiqueta adesiva que, por meio de uma mudança de cor, nos alerta que a temperatura caiu abaixo de um valor crítico. A mudança de cor é permanente e irreversível, por isso atua como um sinal de controle, registrando o evento. Fornecido em packs de 10 unidades.

    57,00 €

Temperatura de refrigeração da carne

A carne é um dos alimentos mais consumidos, pelo que é necessário tratá-lo com todo o cuidado. Na hora de a conservar, é necessário respeitar determinadas temperaturas. Estas devem ser mantidas a partir do momento do sacrifício do animal, dado que a partir desse momento a degradação das suas qualidades é imparável. Só com o frio é que é possível abrandar a ação das enzimas e dos micro-organismos que já estão presentes no produto.

Desta forma, é essencial que se mantenha a temperatura abaixo dos 4 ºC, dado que os germes se desenvolvem a partir daí e até aos 60 ºC. Além disso, a carne que não se refrigera tende a perder humidade e peso mais rapidamente, o que aumenta a sua decomposição, por facilitar a ação dos micro-organismos.

Portanto, a temperatura de refrigeração de carne em armazenamento não deveria ultrapassar os 4 ºC e a humidade não deveria ser inferior a 90%. Além disso, caso a carne seja mantida a 0 ºC, o tempo que ela aguentará será dez vezes maior do que se for mantida a 10 ºC. No entanto, o ideal é que a carne fresca permaneça armazenada a -1 ºC. Por exemplo, a esta temperatura a vitela mantém-se intacta durante três semanas e o cordeiro entre 10 e 15 dias.

Cadeia do frio da carne

Apesar de tudo o que fica exposto, as necessidades das lojas fazem com que as temperaturas se mantenham entre os 3 e os 7 ºC. Estas são relativamente perigosas, mas são compensadas pela rápida venda do produto. Desta forma, apesar de a temperatura ser mais alta do que o recomendável, o facto de se fazer com que chegue imediatamente ao consumidor limita os riscos de proliferação de micro-organismos.

Por este motivo, a cadeia de frio da carne mantém-se, embora se reduza o tempo de armazenamento devido às temperaturas. As lojas e a indústria da carne em geral têm ao seu alcance indicadores de temperatura que lhes permitem a monitorização da temperatura de conservação da carne e, com base nisso, o cálculo do período de armazenamento máximo.

Indicadores para a temperatura de conservação da carne

De entre os diferentes métodos de controlo, as etiquetas de temperatura são uma opção cómoda e de uso fácil. Os termómetros reversíveis indicam continuamente a temperatura do produto, permitindo a deteção de variações no refrigerador e a tomada das medidas corretivas necessárias.

De forma complementar, as etiquetas de temperatura irreversíveis registam de forma permanente as mudanças de temperatura. Desta forma, garantem que a carne não ficou exposta em nenhum momento a temperaturas que possam ser críticas para romperem a cadeia de frio.

Os indicadores de tempo e temperatura são rótulos que, além de registrar permanentemente as alterações como irreversíveis, têm a vantagem de nos informar a quantidade de tempo que a temperatura foi excedida. Este tipo de rótulo é especialmente útil no controle da cadeia de frio da carne, pois nos dará a informação para saber se o produto pode ter se deteriorado ou ainda é útil para o consumo.

Existem também rótulos para controle de queda de temperatura. Esses indicadores informam se a temperatura cai abaixo de um determinado valor. São úteis no caso de carnes já descongeladas e, portanto, não devem passar por um processo de congelamento novamente para evitar sua deterioração.

Em última análise, um termómetro para carne é garantia de uma boa conservação. Esta é essencial para que a carne não apodreça e para que não perca as suas propriedades ou, em caso extremo, possa causar um grave problema de saúde.