Tel: +34 932 310 811 - surisa@surisa.es

Termómetro para carne: temperatura de conservação e refrigeração

As temperaturas da carne devem ser mantidas continuamente, tanto quando se trata de a armazenar como de a transportar. Se a cadeia de frio se romper em alguma fase, o alimento ficará danificado de forma irreversível. Por isso, um termómetro para carne é essencial para a conservação deste produto.

A temperatura de conservação da carne depende do método utilizado e do tempo de armazenamento necessário, dado que o processo se altera, dependendo do facto de se procurar congelá-la ou mantê-la refrigerada. No entanto, nos dois casos, o objetivo consiste em evitar que os alimentos continuem a sua degradação natural, o que os converteria num perigo para a saúde humana. Conforme o caso, há diversas soluções para o controlo da temperatura da carne.

Principais termômetros para controle de preservação de carne

Temperatura de refrigeração da carne

A carne é um dos alimentos mais consumidos, pelo que é necessário tratá-lo com todo o cuidado. Na hora de a conservar, é necessário respeitar determinadas temperaturas. Estas devem ser mantidas a partir do momento do sacrifício do animal, dado que a partir desse momento a degradação das suas qualidades é imparável. Só com o frio é que é possível abrandar a ação das enzimas e dos micro-organismos que já estão presentes no produto.

Desta forma, é essencial que se mantenha a temperatura abaixo dos 4 ºC, dado que os germes se desenvolvem a partir daí e até aos 60 ºC. Além disso, a carne que não se refrigera tende a perder humidade e peso mais rapidamente, o que aumenta a sua decomposição, por facilitar a ação dos micro-organismos.

Portanto, a temperatura de refrigeração de carne em armazenamento não deveria ultrapassar os 4 ºC e a humidade não deveria ser inferior a 90%. Além disso, caso a carne seja mantida a 0 ºC, o tempo que ela aguentará será dez vezes maior do que se for mantida a 10 ºC. No entanto, o ideal é que a carne fresca permaneça armazenada a -1 ºC. Por exemplo, a esta temperatura a vitela mantém-se intacta durante três semanas e o cordeiro entre 10 e 15 dias.

Cadeia do frio da carne

Apesar de tudo o que fica exposto, as necessidades das lojas fazem com que as temperaturas se mantenham entre os 3 e os 7 ºC. Estas são relativamente perigosas, mas são compensadas pela rápida venda do produto. Desta forma, apesar de a temperatura ser mais alta do que o recomendável, o facto de se fazer com que chegue imediatamente ao consumidor limita os riscos de proliferação de micro-organismos.

Por este motivo, a cadeia de frio da carne mantém-se, embora se reduza o tempo de armazenamento devido às temperaturas. As lojas e a indústria da carne em geral têm ao seu alcance indicadores de temperatura que lhes permitem a monitorização da temperatura de conservação da carne e, com base nisso, o cálculo do período de armazenamento máximo.

Indicadores para a temperatura de conservação da carne

De entre os diferentes métodos de controlo, as etiquetas de temperatura são uma opção cómoda e de uso fácil. Os termómetros reversíveis indicam continuamente a temperatura do produto, permitindo a deteção de variações no refrigerador e a tomada das medidas corretivas necessárias.
De forma complementar, as etiquetas de temperatura irreversíveis registam de forma permanente as mudanças de temperatura. Desta forma, garantem que a carne não ficou exposta em nenhum momento a temperaturas que possam ser críticas para romperem a cadeia de frio.

Em última análise, um termómetro para carne é garantia de uma boa conservação. Esta é essencial para que a carne não apodreça e para que não perca as suas propriedades ou, em caso extremo, possa causar um grave problema de saúde.